Art Pel Brasil - (51) 3524.4343

Balança comercial do setor calçadista fica negativa em 27,8%

De janeiro a novembro deste ano, o setor calçadista brasileiro manteve saldo negativo na sua balança comercial de 27,8%. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), este resultado foi devido à redução de 13% no faturamento das exportações e ao aumento de 40% no valor pago pelas importações.

As companhias brasileiras seguem acumulando perdas nas exportações este ano. De janeiro a novembro de 2011, a queda chegou a 13% no faturamento e a 21% no volume embarcado, quando comparado ao mesmo período de 2010. Segundo dados da Abicalçados, com base em números da Secex, os fabricantes nacionais enviaram para o exterior 101,7 milhões de pares, o equivalente a US$ 1,2 bilhão. Em igual período de 2010 foram exportados 129,5 milhões de pares, cuja receita foi de US$ 1,4 bilhão.

ESTADOS: Principais polos puxam redução

De janeiro a novembro deste ano, as principais regiões produtoras e exportadoras do País puxaram a queda nos embarques. Rio Grande do Sul, Ceará e São Paulo registraram perdas de, respectivamente, 20%, 12% e 3% no faturamento. No total, as empresas gaúchas enviaram para o exterior 20,6 milhões de pares, enquanto os cearenses mandaram 40 milhões de pares e os paulistas exportaram 5,4 milhões de pares. As perdas em volume foram de 25%, 30% e 15%, respectivamente.

IMPORTAÇÕES: Países não tradicionais lideram alta

Seguem em alta as importações de calçados oriundos de países que não são tradicionais produtores de calçados. O Vietnã se mantém na dianteira das importações, com cifras de US$ 179,1 milhões, o equivalente a 10,1 milhões de pares. O aumento chega a 44% no faturamento e a 43% no volume embarcado quando comparado a janeiro a novembro de 2010. A Indonésia permanece em segundo lugar, com negócios na ordem de US$ 91 milhões, seguida da China, com US$ 65,7 milhões, e da Malásia, com US$ 14,4 milhões. No total foram importados, de janeiro a novembro de 2011, 32,6 milhões de pares, cujas cifras chegaram a US$ 409,8 milhões.
Sintéticos se mantêm na ponta – De janeiro a novembro de 2011, os calçados com cabedal sintético lideraram a maior fatia dos produtos importados. Durante este período, entraram no Brasil 13 milhões de pares deste tipo de calçado, o equivalente a US$ 164,4 milhões. A participação desses calçados chega a 40% tanto em faturamento quando em volume importado. Os calçados com cabedal têxtil também apareceram com destaque: no total foram importados 9,2 milhões de pares, o equivalente a 33% do montante, que custaram US$ 133,6 milhões. Também tiveram presença nas importações os calçados com cabedal com couro natural e cabedal injetado, além de outros tipos. (Fonte: ASCom Abicalçados)